Ações de combate à dengue são apresentadas em reunião de trabalho

Encontro reuniu coordenadores da Zoonoses, do Programa Municipal de Controle do Aedes e diretor do Centro de Comunicação da Prefeitura

Em reunião de trabalho dos coordenadores do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ), Eliane Carvalho, do Programa Municipal de Controle do Aedes (PMCA), Sebastião Amaral de Campos, o Tom, e do diretor do Centro de Comunicação Social (CCS) da Prefeitura, Antonio Carlos Bonassi, ontem, quinta-feira (28/01), foram apresentadas as ações estratégicas e serviços de combate à dengue pelo PMCA, que fazem parte da rotina da unidade. Foram traçadas algumas diretrizes básicas para fortalecer a comunicação com a sociedade, visando uma prevenção mais efetiva para o controle do mosquito Aedes aegypti, transmissor da dengue.

De acordo com Tom, a evolução da dengue no município neste início de ano segue características semelhantes às de 2020, com pequena variação para baixo do indicador, se analisado comparativamente até a terceira semana epidemiológica do ano. É considerada situação epidêmica quando há no município 300 casos para cada 100 mil habitantes. Hoje, Piracicaba tem 26 casos confirmados. Em 2020, no mesmo período, foram registrados 47 casos.

A maior preocupação do PMCA, no momento, tem sido a região central da cidade, por onde circulam milhões de pessoas por ano. “Está sendo também a nossa maior dificuldade para a execução de ações de combate ao mosquito transmissor da doença, uma vez que o volume de imóveis à venda ou alugando na região central é elevado, sendo a maioria de difícil acesso para os agentes de zoonoses, por estarem desabitados, o que pode elevar o número de casos de dengue na região e, consequentemente, no município, uma vez que todos os piracicabanos circulam pelo centro e podem ser contaminados, levando a doença para os bairros”.

COMUNICAR PARA PREVENIR – O diretor do CCS, Antonio Carlos Bonassi, destacou que o intuito do prefeito Luciano Almeida é desenvolver um trabalho homogêneo, que integre ações de secretarias afins e potencialize resultados. “Nesse sentido, nosso plano é desenvolver gradativamente uma linguagem para a prevenção à dengue, que fortaleça internamente o trabalho integrado das secretarias de Saúde, de Defesa do Meio Ambiente (Sedema) e de Educação (SME), por exemplo, visando sempre os melhores resultados para a população”, explicou.

Tom disse ainda que as equipes do PMCA estão trabalhando diariamente na orientação à população, com visitas casa a casa, em pontos estratégicos e imóveis especiais, arrastões para retiradas de criadouros aos sábados, entre outras ações, incluindo entradas forçadas em imóveis, em casos extremos, quando não são encontrados seus proprietários e são motivo de reclamações documentadas da população do entorno sobre criadouros e água parada na localidade.

Eleni Destro

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.