Sindicatos ligados ao Conespi vão a Brasília engrossar manifestação contra as reformas

Sindicatos de trabalhadores de Piracicaba, ligados ao Conselho das Entidades Sindicais de Piracicaba (Conespi), como de Alimentação, Bancários, Comerciários, Motoristas do Transporte Coletivo, Papeleiros, Construção Civil, estarão em Brasília nesta quarta-feira, 24 de maio, participando da manifestação, organizadas pelas centrais sindicais, contra as reformas trabalhistas e da Previdência Social, que tramitam no Congresso Nacional. A previsão das centrais sindicais que organizam esta ocupação de Brasília é de que 100 mil pessoas estarão na capital federal, em uma marcha que sairá do estádio Mané Garrincha e deverá terminar na Alameda das Bandeiras, em frente ao Congresso Nacional.
O presidente do Conespi, Francisco Pinto Filho, o Chico, destaca a importância de o trabalhador sair às ruas para manifestar contra estes ataques aos trabalhadores. “Esse é o momento de os trabalhadores e da população ir às ruas para dizer não às reformas. Estas manifestações, inclusive, devem contribuir e ajudar a Justiça a decidir o futuro do País, uma vez que o atual presidente Michel Temer não tem mais legitimidade para continuar à frente da Nação”, enfatiza. A mesma filosofia de pensamento é do presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Urbanos de Piracicaba, João Soares: “chegou a hora de os trabalhadores irem para as ruas e mostrarem a sua força. Por isso, estaremos em Brasília, para ajudar a engrossar este movimento nacional contra as reformas que atingem a todos nós, e contra este governo, que mostrou que, além de ser contra os trabalhadores, não tem mais moral e legitimidade para continuar na presidência do Brasil”, declarou.
O diretor do Conespi e presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Piracicaba, Fânio Luis Gomes, conta que o ônibus da Regional da Força Sindical levando dirigentes para o ato deixa Piracicaba às 15 horas desta terça-feira, 23 de maio, mesmo horário que parte o ônibus dos metalúrgicos. “No Estado, nossa Federação vai levar três ônibus, enquanto que a Força Sindical 15 ônibus. Vamos ocupar a Esplanada dos Ministérios e deixar bem claro que somos contrários às reformas que retiram direitos dos trabalhadores, uma decisão política de um governo e de um Congresso Nacional, que, neste momento, não têm moral para propor e conduzir reformas que atingem a população brasileira e que deixará o povo do nosso país ainda mais empobrecido”, ressalta.
Para o presidente do Sindicato dos Comerciários e diretor do Conespi, Roberto Previde, “a marcha a Brasília, que terá a participação de milhares de trabalhadores de diversas partes do País, é imprescindível e necessária para deixar bem claro que as reformas propostas são veementemente repudiadas. Ninguém quer as reformas, foram propostas de cima para baixo, sem uma maior discussão com a sociedade, o que é inadmissível, uma vez que mexe tanto nos direitos trabalhistas dos nossos trabalhadores como nas regras da Previdência Social, praticamente inviabilizando que boa parte da nossa sociedade, um dia, venha a poder usufruir do benefício da aposentadoria”, completa.

Vanderlei Zampaulo – MTb-20.124