Sexualidade

È um fato presente em todas as etapas de nossa vida
É uma forma de expressão pessoal que não tem época para começar ou acabar.
Ao contrario do que muitos acreditam a sexualidade não começa com puberdade e muito menos termina com a chegada da menopausa.
E pode ser dividida para melhor compreensão em 2 modalidades: Biológica = associada a reprodução e erótica = associada ao prazer.
Ao longo dos anos, o organismo se modifica e a sexualidade também se transforma.
A sexualidade no climatório não é necessariamente pior nem melhor do que a dos jovens.É apenas diferente.
A idade não diminui o prazer, o desejo sexual tende a esfriar com as mudanças fisiológicas que se iniciam a partir dos 40 anos, principalmente levando a uma diminuição da freqüência sexual.
O que os casais se esquecem é que perderam em quantidade, mas ganharam (e muito) em qualidade, através da sua experiência.
A excitação sexual no organismo provoca:
– Rubor facial /Modificação da freqüência cardíaca / Tremor / Aumento da circulação na região genital (lubrificação)
Durante a relação, a excitação crescente leva ao organismo e o corpo responde aos estímulos provocando:
– Elevação da pressão arterial / Taquicardia / Rubor da face e do tórax
Com o avanço da idade há uma menor intensidade nestes fenômenos, como proteção para as mulheres de cólicas ou câimbras que podem surgir em um útero atrofiado.
Mudanças também ocorrem no homem e que é importante que as mulheres saibam, porque do seu desconhecimento acaba se constituindo um grande “problema” que leva as mulheres climatericas a pensarem diante de um fracasso ou evitação sexual dele, que isso se deve ao desamor, não atratividade, infidelidade, rejeição etc….
Os principais fenômenos no homem começam a partir dos 40 anos e podem ser resumidos em:
– Tem desejo sexual, mas este não é capaz de produzir a ereção como antes ou imediatamente.
Para ereção do pênis é preciso mais tempo e uma estimulação tátil mais direta.
As ereções tendem a ser menos firmes, e só alcançam o máximo de rigidez, segundos antes da ejaculação.
A quantidade de semem e a intensidade da ejaculação se reduzem.
O período necessário para uma nova ereção apos a ejaculação fica mais longo vai de 15 minutos a uma semana.
Com isso gostaria de mostrar que a sexualidade é um problema do casal e não só da mulher.
Dentro dos problemas sexuais os mais freqüentes no consultório são:
– Falta de desejo
– Sexo por obrigação
– Medo de perder o parceiro
– Aversão sexual
– Dor na relação
– Distúrbio de excitação sexual
– Secura vaginal
– Cistites
– Medicamentos (antipertensivos e antidepressivos)
– Disfunção orgânicas
Mulheres climatéricas, não é tarde para o tratamento para a inibição do desejo sexual feminino, costuma ser difícil.
Em geral a mulher não podem contar com o companheiro, eles resistem a terapia sexual ou normalmente são omisso na vida conjugal.
As vezes o problema pode ser causado apenas pela monotonia conjugal, ausência de fantasias ou jogos sexuais adequados, em que a criatividade se faz presente.
Outra queixa comum, o parceiro não compreende que nem toda caricia sexual tem que terminar, obrigatoriamente em relação sexual, nunca é demais lembrar: romantismo e cumplicidade são importantes em qualquer fase da vida.
A menopausa é rodeada por inúmeros mitos a respeito do sexo, não podemos ignorar este fato.
È justamente nessa fase da vida, que um casal mais maduro, mais do que nunca tem a chance de “fazer amor” em substituição ao “fazer sexo “
Afinal!
‘É bom ter um objetivo para a viagem, mas, afinal é a viagem que importa”.

 

 

Dr.Jorge Luis Angeli
Ginecologista e Obstetra
In memorian