Para Associação Comercial de SP, dados do varejo confirmam tendência de crescimento consolidada

Alencar Burti, presidente da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) e da Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (Facesp), avalia os resultados do varejo brasileiro em junho divulgados hoje pelo IBGE. Para ele, o crescimento das vendas sobre igual mês do ano passado foi puxado pelas seguintes variações (no período junho/2016 a junho/2017):

•    Queda da taxa de juros do crédito às famílias (de 41,8% para 36,4% a.a.)
•    Recuo da inflação (de 8,9% para 3%)
•    Recomposição da massa salarial, que cresceu 2,4% ― o melhor resultado em dois anos
•    Injeção dos recursos do FGTS na economia
•    Base fraca de comparação
•    Início da retomada do emprego, com resultado positivo no decorrer de três meses consecutivos

“A combinação desses elementos ― com destaque para a baixa dos juros, que alongou prazos de financiamento de bens de maior valor ― beneficiou principalmente os segmentos de móveis e eletrodomésticos, veículos e material de construção”, analisa Burti.

Segundo ele, “a retomada será paulatina e pode demorar um pouco para alcançarmos o nível de 2012, quando o comércio cresceu 12,5% em junho; o prenúncio, porém, é que o setor não vai retroceder e a tendência de crescimento está consolidada”, conclui Burti.

Patrícia Gomes Baptista
Assessoria de Imprensa

Sobre a ACSP: A Associação Comercial de São Paulo (ACSP), em seus 122 anos de história, é considerada a voz do empreendedor paulistano. A instituição atua diretamente na defesa da livre iniciativa e, ao longo de sua trajetória, esteve sempre ao lado da pequena e média empresa e dos profissionais liberais, contribuindo para o desenvolvimento do comércio, da indústria e da prestação de serviços. Além do seu prédio central, a ACSP dispõe de 15 Sedes Distritais, que mantêm os associados informados sobre assuntos do seu interesse, promovem palestras e buscam soluções para os problemas de cada região.