Definindo a caspa

fffoto caspa
2006 Publications International, Ltd. Os cientistas descobriram que a caspa ocorre quando um fungo semelhante à levedura, chamado malassezia, multiplica-se no couro cabeludo

Não jogue fora todos aqueles paletós escuros. Existe uma maneira melhor de lidar com a caspa. De fato, você pode removê-la pela simples Você pode não perceber, mas está sempre renovando as células mortas da pele de todo o corpo. Essa é a forma natural da pele se revitalizar. Na verdade, você recebe uma nova camada de pele a cada 27 ou 28 dias aproximadamente. O material velho, uma espécie de floco, é eliminado. A tendência é você não perceber as minúsculas células da pele que caem dos braços, das pernas e até mesmo do couro cabeludo.

A caspa é resultado da mesma renovação das células da pele. Mas se o processo de renovação é normal, por que a caspa se torna tão embaraçosamente visível?

Os cientistas descobriram que a caspa ocorre quando um fungo semelhante à levedura, chamado malassezia, multiplica-se no couro cabeludo. Esse fungo microscópico, um habitante normal da cabeça de um ser humano saudável, alimenta-se dos óleos gordurosos secretados pelos folículos pilosos no couro cabeludo. Mas, às vezes, por razões ainda desconhecidas, o fungo cresce descontroladamente, causando uma irritação que acelera a troca das células no couro cabeludo. Conseqüentemente, o processo normal da troca das células, que geralmente leva um mês, pode levar menos de duas semanas quando a malassezia descontrolada irrita o couro cabeludo. Dessa forma, muitas células mortas se renovam ao mesmo tempo, misturando-se ao óleo dos folículos pilosos e formando crostas gordurosas tão grandes que são visíveis a olho nu. O óleo também faz com que as crostas geralmente fiquem grudadas nos cabelos (e nos ombros), em vez de caírem rapidamente.

Esses dados são apenas informativos. ELES NÃO TÊM O OBJETIVO DE PROPORCIONAR ORIENTAÇÃO MÉDICA. Nem os editores de Consumer Guide (R), Publications International, Ltd., nem o autor e nem a editora se responsabilizam por quaisquer conseqüências possíveis oriundas de qualquer tratamento, procedimento, exercício, modificação alimentar, ação ou aplicação de medicação resultante da leitura ou aplicação das informações aqui contidas. A publicação dessas informações não constitui prática de medicina, e elas não substituem a orientação de seu médico ou de outros profissionais da área médica. Antes de se submeter a qualquer tratamento, o leitor deve procurar atendimento médico ou de outro profissional da área da saúde.