Aedes do Bem é sucesso em Piracicaba

Projeto Aedes do Bem no Cecap/Eldorado alcançou 81% de eliminação de larvas selvagens do mosquito Aedes aegypti na área tratada, em comparação com a área não tratada. É o segundo ano consecutivo em que o nível de controle do vetor da dengue, Zika, chikungunya e febre amarela supera 80% no bairro da região leste.

No bairro São Judas, onde o projeto começou a ser desenvolvido em meados de 2016, a redução de larvas selvagens do Aedes aegypti alcançou 78%, na comparação com a área não tratada, em apenas seis meses. O secretário de Saúde e Esportes, Pedro Mello, disse que neste segundo ano do projeto, “continuamos a ver resultados muito bons que, tenho certeza, fizeram uma grande diferença na vida dos moradores do bairro, ajudando a protegê-los desse perigoso mosquito”.

Os resultados iniciais no São Judas, segundo ele, “também mostram o acerto de nossa decisão em expandir o projeto para a região central de Piracicaba, abrangendo uma população muito mais ampla”.

Para Jorge Espanha, diretor geral da Oxitec do Brasil, “esses resultados sem precedentes, mais uma vez, demonstram a capacidade da solução da Oxitec de controlar a população selvagem do Aedes aegypti”. Ele disse ainda estar animado com os números. “Continuamos nos esforçando para fazer uma diferença significativa na luta contra esse mosquito, usando tecnologia inovadora”.

AEDES DO BEM
A Oxitec tem trabalhado no controle do Aedes aegypti há mais de uma década. É pioneira no uso de um método biológico para suprimir populações selvagens desta perigosa espécie de mosquito mediante a liberação dos Aedes do Bem™, machos que não picam e não transmitem doenças. Ao serem liberados, esses machos buscam e copulam com fêmeas selvagens do Aedes aegypti e seus descendentes herdam um gene autolimitante que faz com que morram antes de se tornarem adultos funcionais.

Os descendentes do Aedes do Bem também herdam um marcador fluorescente que permite que eles sejam identificados no laboratório. Isto permite um nível de rastreamento e medição de impacto sem precedentes, levando a um acurado monitoramento e avaliação da eficácia durante todo o programa de uso do Aedes do Bem.

Diferentemente de outras abordagens, o Aedes do Bem não deixa pegada ecológica. O Aedes do Bem™ liberado no ambiente e seus descendentes morrem, portanto não persistem no ecossistema.

Colaborador : Felipe Poleti

Crédito da foto: Divulgação